AnuncioTopo

Cantinho de São Pedro (Sintra - São Pedro de Penaferrim, Portugal)

Um cantinho apertado, mas bem frequentado.


Em épocas de crise, os clientes são mais selectivos e torna-se maia fácil perceber quais são os restaurantes de qualidade só de entrar lá dentro, seja pelo ambiente, quantidade ou pelo tipo de clientela. Neste cantinho há uma circunstância que pode mudar muito a experiência: a feira de São Pedro que acontece num recinto onde habitualmente se estacionam as viaturas para aceder ao restaurante, Como tenho uma propensão para fazer cumprir a Lei de Murphy, fui lá num desses dias!


Localização & Acesso (6/10)

Situado no centro de São Pedro de Penaferrim (conhecido como São Pedro de Sintra), estamos mesmo à porta de Sintra e numa zona onde não só não estamos longe das principais atrações da região, como podemos já sentir o ambiente do romantismo que caracteriza toda a envolvência de Sintra. O restaurante fica escondido num beco, num dos recantos da Praça D. Fernando II onde se realiza a famosa Feira de São Pedro todos os segundos e quartos Domingos do mês. O estacionamento é vasto quando não há feira, mas quase impossível em dias de feira.

Conforto, Decoração & Ambiente (9/10)

Quando entramos, sentimos que se trata de um ambiente seletivo, num espaço rústico, mas com muito bom gosto, acolhedor, confortável e com algum requinte. O ambiente é calmo e recatado com famílias e casais que querem aproveitar a tranquilidade que se retira deste estabelecimento. Junto ás janelas consegue-se perceber o frenesim da feira (quando é dia dela) ou a preguiça de quem passa apenas em passeio turístico. Nas zonas mais interiores, a luminosidade muda e não me parece ser tão interessante, mas ainda assim tem o seu encanto.


Atendimento & Serviço (7/10)

Não fizemos reserva, portanto fomos encostados a um cantinho bem apertado junto às escadas que dão acesso à porta de entrada, porque o restaurante estava lotado. O atendimento foi muito educado, com um toque de requinte que por vezes até pareceu exagerado e pouco fluido. Os pratos demoraram um pouco a chegar, talvez pelo facto de estar cheio, mas ao mesmo tempo por perceber que são feitos na hora, no forno. O problema do atendimento requintado é que se torna algo impessoal e só quando o empregado mudou é que sentimos um pouco mais de atenção e proximidade.

Ementa & Apresentação (8/10)

É uma ementa bem variada, onde se pode escolher entre pratos simples ou mais sofisticados, até porque existe muita inspiração francesa nos pratos disponíveis, começando logo pelas entradas onde podemos encontrar Sapateira Recheada, Pernas de Rã ou Caracóis de Bourgogne. No que diz respeito a pratos principais existem grelhados, mas o que salta à vista são os pratos com inspiração francesa como a Canoa de Salmão Gratinado, os Crepes de Camarão ou de Lagosta, o Emincé de Tamboril com Estragão, o Cordon Bleu de Porco, a Moussaka, o Pato com Laranja ou as variadas combinações de Entrecôte com molhos. As sobremesas são também de grande variedade continental, tais como, Gelados, Mousse de Chocolate, Profiteroles, Tarte de Queijada de Sintra, Farófias ou Cheesecake. A apresentação dos pratos está muito limitada aos recipientes de metal que vão ao forno, algo que não se revela muito atraente, mas a mistura de ingredientes e a forma de confeção acaba por dar uma imagem agradável e entusiasmante.


Qualidade da Refeição (6/10)

A ideia de um restaurante inspirado na cozinha francesa terá criado uma expetativa elevada à qual não houve muita correspondência na qualidade. Saltámos as entradas e escolhemos um bom vinho da casa que se revelou forte demais para o beber até ao fim. Uma das escolhas foi a Canoa de Salmão Gratinado que tinha um exagero de puré e pouco salmão que acabou por se mostrar demasiado simples, a outra foi Medalhões de Porco à Bordalesa, cuja carne era bem tenra e saborosa, embora o molho fosse um pouco monótono. Para sobremesa escolhemos uma Tarte de Maçã que, mais uma vez, não se destacou e voltou a dar um certo ar de monotonia, pois basicamente parecia maçã cozida sem qualquer toque especial.

Preço Vs Qualidade (6/10)

Não terá sido tão caro como inicialmente tinha previsto, mas também a qualidade não se revelou tão elevada como imaginava. É verdade que o espaço, o serviço e a ementa são muito apelativos, mas penso que terei que experimentar mais pratos para decidir melhor acerca da qualidade, porque tudo me pareceu algo insípido contra todas as perspetivas. Fugimos das entradas por causa do preço proibitivo (tão caras como os pratos principais), mas pode ser que tenham outro "elan" e que marquem a diferença.

Preço Base (Prato+Bebida): De 10€ a 15€
Preço Base + Sobremesa: De 15€ a 20€
Preço de Menu Completo: De 25€ a 30€

Conselhos & Dicas

- A feira de São Pedro realiza-se aos segundos e quartos Domingos de cada mês, portanto se não quiser ter problemas com o estacionamento será melhor evitar estas datas..
- Se fizer reserva, aconselhado ao fim de semana, escolha a zona de entrada onde a vista para a rua torna o ambiente mais desafogado.
- Embora os nomes dos pratos possam não dar essa ideia, a verdade é que existem alguns perfeitamente adaptados a crianças, mesmo que o ambiente requintado do restaurante não pareça chamativo para elas.
- Os preços das entradas assustam, mas os pratos são bem servidos e até se pode arranjar um compromisso entre os dois para ter uma experiência diferente.

Restaurante o Fuso (Arruda dos Vinhos, Portugal)

Quando apenas dois pratos fazem toda a diferença.


Há conceitos simples que têm resultados extraordinários e até mesmo um restaurante fora de mão dos passeios dos lisboetas, consegue atingir uma popularidade notável baseada apenas no sucesso de dois pratos. Já lá tomei refeições em diferentes ocasiões, com diferente número de pessoas, mas sempre com o mesmo grau de satisfação. É uma aposta segura, desde que se goste de Bacalhau ou Costeleta, mas também há outras alternativas.


Localização & Acesso (5/10)

Estamos em plena região saloia cujos limites sempre geraram controvérsia, mas a palavra em si caracteriza as populações rurais à volta de Lisboa. E no concelho de Arruda dos Vinhos continuamos a ter a ruralidade no seu esplendor. O posicionamento central do restaurante, na porta 94 da Rua Cândido dos Reis e o trânsito complicado, acaba por não funcionar muito a seu favor, porque o estacionamento é escasso e a envolvência não é das mais bonitas devido a alguns edifícios em mau estado, a própria fachada do restaurante não pose dizer que seja muito apelativa, mas ao longo dos anos foram criados estacionamentos de boas proporções nos limites da pequena vila, que apenas obrigam a uma pequena caminhada de 200 metros, mas que ainda assim pode ser um pouco inconveniente em dias invernosos.

Conforto, Decoração & Ambiente (8/10)

Tem uma decoração totalmente rústica em tons castanho claro e escuro onde se destaca a existência de um Fuso (para moer a azeitona) e um Lagar de azeite. Existe um outro espaço numa zona no exterior, numa espécie de pátio tradicional, mas que foi coberta para proporcionar outro conforto, embora não tenha o mesmo ambiente rústico e acolhedor das salas interiores que também estão servidas por uma lareira. Naturalmente que a rusticidade tem alguns custos no conforto já que as mesas pesadas e as cadeiras de grandes proporções provocam alguma falta de flexibilidade no acomodamento dos clientes. É essencialmente visitado por famílias e é adequado para grupos tendo em conta o tamanho muito generoso das doses. O grande problema do fim de semana são as filas que se formam à entrada e que tornam o ambiente algo ruidoso e pouco descontraído.


Atendimento & Serviço (6/10)

Confesso que tenho notado alguma irregularidade no atendimento e parece que depende muito do dia e da lotação do restaurante. Quando está cheio (especialmente aos almoços do fim de semana) nota-se uma certa degradação do serviço que se torna bem mais lento devido à excessiva ocupação das grelhas, mas ao jantar e durante a semana o atendimento é excelente e muito mais personalizado. A eficiência é elevada em contraponto com algum distanciamento e frieza no atendimento.

Ementa & Apresentação (7/10)

A aposta em 2 pratos tem tido os seus frutos e muitas vezes as pessoas nem querem ver a ementa, porque a fama do Bacalhau Assado na Brasa e das enormes Costeletas de Novilho Grelhadas já deram nome ao restaurante, mas também há outras alternativas de peso no que diz respeito à tradição portuguesa, tais como o Cozido à Portuguesa, o Arroz à Valenciana ou as Espetadas de Novilho na Brasa. Na maior parte dos casos são doses para duas pessoas e chega tudo em grandes travessas onde a apresentação não está na ordem do dia, mas o aspeto é quase sempre suculento. Também há entradas, onde os enchidos são o maior destaque e sobremesas dominadas pelas tartes de variedades diversas, mas será que alguém fica com vontade disso depois de uma refeição tão farta?


Qualidade da Refeição (9/10)

Independentemente da fama dos pratos principais, já provei algumas entradas como a Morcela ou a Linguiça feitas na hora e que foram sempre agradáveis. Das sobremesas, experimentei a Tarte de Amêndoa e a Tarde de Maçã, embora nenhuma delas se tenha destacado verdadeiramente. Quanto aos pratos principais, o Bacalhau Assado na Brasa chega com um azeite divinal e as Costeletas têm um sabor que nunca encontrei em mais lado nenhum e sempre feitas a preceito. Degustei também uma vez a Espetada de Novilho e também não me arrependi. De facto, a comida é a grande arma deste espaço e por isso tanta gente lá vai ao fim de semana.

Preço Vs Qualidade (6/10)

Não é fácil pagar pouco, porque não há meias doses ou doses individuais, mas é perfeitamente possível pedir uma dose para dois que chegue perfeitamente para três pessoas, ou seja, ir em número ímpar pode compensar muito na conta final. Na minha opinião não é o tipo de restaurante que se possa visitar frequentemente, mas é fantástico para os bons garfos! Noto, todavia, que os preços subiram em flecha nos últimos anos.

Preço Base (Prato+Bebida): De 15€ a 20€
Preço Base + Sobremesa: De 20€ a 25€
Preço de Menu Completo: De 25€ a 30€

Conselhos & Dicas

- O estacionamento é difícil à porta, mas existem parques criados nas zonas limítrofes que evitam a confusão automobilística que costuma ser o interior da vila ao fim de semana.
- O Bacalhau e a Costeleta na Brasa são os artistas principais, é quase um crime não escolher um deles.
- Ao fim de semana convém reservar, especialmente ao almoço.
- Os mais acalorados devem procurar os lugares mais longe da grelha senão vão sofrer um bocado, especialmente no verão.
- Os pratos para duas pessoas, parecem convidar ao romance, mas para gerir melhor a conta o ideal será dividir cada dose por três.