AnuncioTopo

Restaurante o Fuso (Arruda dos Vinhos, Portugal)

Quando apenas dois pratos fazem toda a diferença.


Há conceitos simples que têm resultados extraordinários e até mesmo um restaurante fora de mão dos passeios dos lisboetas, consegue atingir uma popularidade notável baseada apenas no sucesso de dois pratos. Já lá tomei refeições em diferentes ocasiões, com diferente número de pessoas, mas sempre com o mesmo grau de satisfação. É uma aposta segura, desde que se goste de Bacalhau ou Costeleta, mas também há outras alternativas.


Localização & Acesso (5/10)

Estamos em plena região saloia cujos limites sempre geraram controvérsia, mas a palavra em si caracteriza as populações rurais à volta de Lisboa. E no concelho de Arruda dos Vinhos continuamos a ter a ruralidade no seu esplendor. O posicionamento central do restaurante, na porta 94 da Rua Cândido dos Reis e o trânsito complicado, acaba por não funcionar muito a seu favor, porque o estacionamento é escasso e a envolvência não é das mais bonitas devido a alguns edifícios em mau estado, a própria fachada do restaurante não pose dizer que seja muito apelativa, mas ao longo dos anos foram criados estacionamentos de boas proporções nos limites da pequena vila, que apenas obrigam a uma pequena caminhada de 200 metros, mas que ainda assim pode ser um pouco inconveniente em dias invernosos.

Conforto, Decoração & Ambiente (8/10)

Tem uma decoração totalmente rústica em tons castanho claro e escuro onde se destaca a existência de um Fuso (para moer a azeitona) e um Lagar de azeite. Existe um outro espaço numa zona no exterior, numa espécie de pátio tradicional, mas que foi coberta para proporcionar outro conforto, embora não tenha o mesmo ambiente rústico e acolhedor das salas interiores que também estão servidas por uma lareira. Naturalmente que a rusticidade tem alguns custos no conforto já que as mesas pesadas e as cadeiras de grandes proporções provocam alguma falta de flexibilidade no acomodamento dos clientes. É essencialmente visitado por famílias e é adequado para grupos tendo em conta o tamanho muito generoso das doses. O grande problema do fim de semana são as filas que se formam à entrada e que tornam o ambiente algo ruidoso e pouco descontraído.


Atendimento & Serviço (6/10)

Confesso que tenho notado alguma irregularidade no atendimento e parece que depende muito do dia e da lotação do restaurante. Quando está cheio (especialmente aos almoços do fim de semana) nota-se uma certa degradação do serviço que se torna bem mais lento devido à excessiva ocupação das grelhas, mas ao jantar e durante a semana o atendimento é excelente e muito mais personalizado. A eficiência é elevada em contraponto com algum distanciamento e frieza no atendimento.

Ementa & Apresentação (7/10)

A aposta em 2 pratos tem tido os seus frutos e muitas vezes as pessoas nem querem ver a ementa, porque a fama do Bacalhau Assado na Brasa e das enormes Costeletas de Novilho Grelhadas já deram nome ao restaurante, mas também há outras alternativas de peso no que diz respeito à tradição portuguesa, tais como o Cozido à Portuguesa, o Arroz à Valenciana ou as Espetadas de Novilho na Brasa. Na maior parte dos casos são doses para duas pessoas e chega tudo em grandes travessas onde a apresentação não está na ordem do dia, mas o aspeto é quase sempre suculento. Também há entradas, onde os enchidos são o maior destaque e sobremesas dominadas pelas tartes de variedades diversas, mas será que alguém fica com vontade disso depois de uma refeição tão farta?


Qualidade da Refeição (9/10)

Independentemente da fama dos pratos principais, já provei algumas entradas como a Morcela ou a Linguiça feitas na hora e que foram sempre agradáveis. Das sobremesas, experimentei a Tarte de Amêndoa e a Tarde de Maçã, embora nenhuma delas se tenha destacado verdadeiramente. Quanto aos pratos principais, o Bacalhau Assado na Brasa chega com um azeite divinal e as Costeletas têm um sabor que nunca encontrei em mais lado nenhum e sempre feitas a preceito. Degustei também uma vez a Espetada de Novilho e também não me arrependi. De facto, a comida é a grande arma deste espaço e por isso tanta gente lá vai ao fim de semana.

Preço Vs Qualidade (6/10)

Não é fácil pagar pouco, porque não há meias doses ou doses individuais, mas é perfeitamente possível pedir uma dose para dois que chegue perfeitamente para três pessoas, ou seja, ir em número ímpar pode compensar muito na conta final. Na minha opinião não é o tipo de restaurante que se possa visitar frequentemente, mas é fantástico para os bons garfos! Noto, todavia, que os preços subiram em flecha nos últimos anos.

Preço Base (Prato+Bebida): De 15€ a 20€
Preço Base + Sobremesa: De 20€ a 25€
Preço de Menu Completo: De 25€ a 30€

Conselhos & Dicas

- O estacionamento é difícil à porta, mas existem parques criados nas zonas limítrofes que evitam a confusão automobilística que costuma ser o interior da vila ao fim de semana.
- O Bacalhau e a Costeleta na Brasa são os artistas principais, é quase um crime não escolher um deles.
- Ao fim de semana convém reservar, especialmente ao almoço.
- Os mais acalorados devem procurar os lugares mais longe da grelha senão vão sofrer um bocado, especialmente no verão.
- Os pratos para duas pessoas, parecem convidar ao romance, mas para gerir melhor a conta o ideal será dividir cada dose por três.

1 comentário:

  1. O melhor bacalhau assado de Portugal, um restaurante que não precisa de estrelas Michelín...

    ResponderEliminar