AnuncioTopo

Restaurante Vila Branca (Borba, Portugal)

Ideal para uma noite de verão, mas podia melhorar o conforto.


Vão percebendo, pelas minhas opiniões, que tenho uma certa predileção pelo Alentejo e pela comida alentejana (vinho alentejano incluído), daí que sempre que é possível conhecer novos locais nesta bela região, nunca me faço rogado. Numa viagem ao coração do norte alentejano, passei por Borba, que é muito conhecida pelo seu vinho e pelos seus mármores, para experimentar a gastronomia de um restaurante que me indicaram como sendo bom e barato. Numa noite de fim de verão, a temperatura convidava a um jantar ao ar livre e este espaço proporcionava exatamente essa possibilidade.


Localização & Acesso (9/10)

Localizado no centro histórico de Borba, mesmo junto ao peculiar castelo (que não se encontra em plano elevado) cujas muralhas se prolongam até ao pátio do restaurante, torna-se bem simples encontrá-lo apenas seguindo as direções para o centro e para o castelo. Depois, basta arrumar o carro num dos muitos lugares de estacionamento que existem nas redondezas, mesmo que fique a 100 ou 200 metros vale a pena o passeio para respirar os ares do Alentejo genuíno. É a zona central de Borba, ponto de encontro para os locais de todas as idades e para alguns turistas ocasionais, especialmente numa noite de verão. A entrada é enganadora, pois parece conduzir para um simples café.

Conforto, Decoração & Ambiente (6/10)

Optámos pelo espaço ao ar livre, porque a noite estava convidativa, mas também o espaço interior (que tivemos que atravessar) se revelava promissor e bem decorado. Ao passar para o exterior deparámos-nos com um grande terraço ladeado pela alta muralha do castelo que nos separava da rua e que tinha a desvantagem de tapar completamente a vista para onde quer que olhássemos. A decoração é simplista demais numa tentativa falhada de levar a experiência ás modestas raízes alentejanas e o conforto também não é dos melhores, porque as cadeiras são de plástico e as mesas pouco práticas. É no ambiente que está a salvação, porque há uma certa privacidade e espaço para usufruir de uma boa refeição num ambiente calmo e relaxado. O terraço tem até um poço e uma pequena fonte que dão um ar mais genuíno, mas ainda assim foi pouco conseguida a sua integração. Fomos visitados por alguns aborrecidos insetos, mesmo tendo o empregado reduzido ao mínimo as luzes decorativas.



Atendimento & Serviço (7/10) 

Inicialmente, o tratamento pareceu-me demasiado formal para o ambiente que estava à espera, mas rapidamente o empregado revelou a sua veia comercial e alentejana que desanuviou o ambiente. Reparei que esteve em amena cavaqueira com alguns clientes, o que me deu a entender que este restaurante também é frequentado pelos locais. Os pratos demoraram um bocado a chegar, mas achei normal já que a cozinha tinha acabado de abrir. Foram atenciosos no que diz respeito aos nossos pedidos e quase sempre solícitos, embora se tenham esquecido de alguns pormenores ao colocar a mesa.

Ementa & Apresentação (6/10)

A ementa não era tão variada como esperava e foi até um pouco difícil fazer a escolha a contar com uma criança. As entradas incluíam os tradicionais queijos e enchidos regionais, para além das igualmente tradicionais saladinhas. A ementa era forte em peixes para grelhar e também tinha alguns pratos tradicionais como o Bacalhau à Gomes Sá ou os Chocos Fritos, mas só nas carnes é que se entra no verdadeiro domínio alentejano com as já universais carnes de porco preto que se tornaram no cartão de visita da gastronomia desta região. No que diz respeito a sobremesas, havia uma mistura entre as alentejanas, tradicionais e internacionais como a Sericaia, Mousse de Chocolate ou Profiteroles. A apresentação é simplista e despretensiosa, mas notou-se o carinho de quem estava na cozinha.



Qualidade da Refeição (7/10)

Não estava particularmente confiante com as escolhas que tínhamos feito, mas acabou por ser uma refeição bem variada e gostosa. Começámos por debicar entre um queijinho regional tipo Serpa e um paio que acompanhados pelo pão alentejano fizeram maravilhas. Optámos por uma Dourada Grelhada, que estava no ponto, e por uma Vitela de Tomatada, que se revelou uma agradável surpresa. Reparei nos excelentes acompanhamentos, já que as batatas fritas, o arroz e a salada estavam feitas a preceito. Para sobremesa, escolhemos um Semi-frio de Manga que estava apenas regular, mas refrescante e uma Mousse de Chocolate que também não surpreendeu.

Preço Vs Qualidade (7/10)

Quando me disseram que era bom e barato, fiz logo comparações com outras pérolas em território alentejano, porém acabou por não ser tão bom nem tão barato como isso, embora considere que a localização e a aposta em espaços diversificados tenham que ter algum custo adicional que considerei justo. Gostava, porém, de ter tido uma maior variedade de opções.

Preço Base (Prato+Bebida): De 10€ a 15€
Preço Base + Sobremesa: De 10€ a 15€
Preço de Menu Completo: De 15€ a 20€

Conselhos & Dicas

- Se gosta do contacto com as populações, guarde o café para uma das esplanadas à volta do curioso castelo de Borba.
- A sala interior também é agradável e certamente menos propensa a insetos voadores. No inverno é certamente muito acolhedor.
- As distâncias no centro da pequena cidade são curtas, por isso não vale a pena preocupar-se se não encontrar lugar para o carro em frente à porta.
- Aproveite as entradas e não se guarde para a sobremesa.

2 comentários:

  1. O nosso grupo almoçou neste restaurante e foi bem servido.O serviço foi super rápido (só um empregado serviu 28 pessoas). Local agradável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Mely. É realmente uma excelente opção em Borba.

      Eliminar