AnuncioTopo

Wagamama (Londres - Soho, Inglaterra)

Comida japonesa como nunca tinha visto nem provado.


Num dos poucos momentos em que a sorte grande me bateu à porta, através de um concurso tive a oportunidade de visitar Londres juntamente com algumas pessoas conhecedoras da cidade e que me levaram a este restaurante que asseguravam estar na moda e que mais tarde vim a saber que tinha sido eleita a cadeia de restaurantes mais popular de Londres. Confesso que não fiquei fã, mas a cadeia de restaurantes Wagamama, embora maioritariamente direcionado para o mercado britânico, cresceu já para além do Reino Unido através de um menu que é uma espécie de fast-food de comida japonesa, algo que representa o oposto do que normalmente consideramos uma calma e relaxante experiência gastronómica. Não quero incluir cadeias de fast-food neste blog, mas esta é diferente na sua génese até porque nos servem à mesa.


Localização & Acesso (5/10)

O Soho é o bairro boémio de Londres onde os bares se multiplicam, assim como as atividades noturnas e obscuras. Fica localizado na porta 10A de Lexington Street que é uma rua bem apertadinha e apenas acessível a pé a uns bons 500 metros de Piccadilly Circus. Há parques subterrâneos nas redondezas, mas nem quero imaginar os preços. O acesso ao restaurante é estranho, porque depois de aceder a um grande hall de entrada, descemos uma rampa que nos faz atravessar as cozinhas até à sala que se encontra ao nível de uma cave.

Conforto, Decoração & Ambiente (4/10)

Não consigo deixar de comparar o espaço com uma cantina com mesas grandes e feias, onde não existem toalhas, mas apenas folhas de papel colocadas por cima do tampo de madeira. Temos que nos sentar ao lado de estranhos e partilhar o mesmo banco corrido que em algumas mesas dava para 8 pessoas de cada lado. O ambiente à noite é bem diferente do almoço já que os frequentadores do bairro também se modificam consideravelmente conforme o movimento dos astros, ou seja, familiar ao almoço e vanguardista ao jantar. Estar numa cave também não ajuda a criar ambiente, mas há qualquer coisa que nos faz sentir confortáveis, mesmo sem privacidade.


Atendimento & Serviço (6/10)

O espaço é frio, mas o atendimento não sendo muito mais caloroso é bem eficiente por sinal. Está tudo tecnologicamente muito evoluído, tendo mesmo sido o primeiro restaurante onde observei a utilização de PDA's para fazer os pedidos. São rápidos a atender e a servir, não há grandes queixas a fazer nem grandes comentários abonatórios.

Ementa & Apresentação (7/10)

Esta cadeia de restaurantes gaba-se de produzir uma imagem do típico bar japonês de comida tradicional, mas quando lá estive não era essa a imagem que transpirava, talvez porque os clientes fossem do grupo notívago. O Wagamama é claramente um restaurante japonês diferente, onde as pessoas não vão comer sushi ou sashimi bonitinho como nos lugares habituais, aqui come-se o que está à venda nas bancas de rua de Tóquio, como o Ramen, o Teppanyaki, pratos de caril e de outras especiarias picantes. Naquela altura, tudo isto era novidade para mim, portanto olhar para aquela ementa era o mesmo que estar a ler qualquer coisa escrita com carateres japoneses. A apresentação não é muito elaborada, acaba por ser simples porque os ingredientes também têm um aspeto grosseiro.


Qualidade da Refeição (6/10)

Cometemos um erro ao escolher os pratos ao acaso, pensando que podíamos dividir a comida entre todos, porque os pratos eram individuais e pouco práticos para fazer "rodar" pela mesa. Pior foi que alguns dos pratos eram inexplicavelmente picantes, como nunca tinha experimentado. Chamavam-lhe "Chili Dishes", o que deveria ter contado como aviso, mas cego pelas indicações dos clientes habituais deixei que me calhasse o mais picante do lote, que me fez transpirar durante mais de duas horas. Curiosamente, um casal de rapazes, que se sentaram ao nosso lado, pediram a mesma coisa e deglutiram tudo como se fosse um refresco! Se calhar, as minhas papilas gustativas estavam muito sensíveis. Os pratos de Teppanyaki (grelhados) e Ramen (noodles) eram bem mais comestíveis, embora nenhum me tenha causado grande sensação... talvez porque já tivesse degustado aquela explosão de sabores picantes.

Preço Vs Qualidade (6/10)

A opinião generalizada é de que se trata de um restaurante bastante barato para a média britânica e para comida japonesa, mas naquela altura não achei assim tão acessível. Achei caro, porque não gostei muito da comida cujo sabor não parecia muito adaptado aos gostos europeus. Para além disso, quando pensamos em fast-food não estamos muito dispostos a gastar mais de 10€, mesmo considerando que nos servem à mesa.

Preço Base (Prato+Bebida): De 10€ a 15€
Preço Base + Sobremesa: De 15€ a 20€
Preço de Menu Completo: De 20€ a 25€

Conselhos & Dicas

- Se tiver paladar sensível, fuja dos pratos picantes.
- Para as crianças, o Teppanyaki é o mais indicado.
- Perceba que o ambiente é muito diferente entre o almoço familiar e o jantar mais boémio.
- Não é uma zona particularmente bonita, certamente haverão outros restaurantes da cadeia em locais mais aprazíveis.
- Não há muitas bebidas "ocidentais", dão preferência ás japonesas também.

Sem comentários:

Enviar um comentário