AnuncioTopo

Restaurante A Cavalariça (Castro Verde - Entradas, Portugal)

Numa localidade chamada "Entradas"... tinha que haver boa comida.


Tinha ficado alojado num hotel rural no meio do Alentejo e achei que devia procurar alternativas para almoçar ou jantar por um preço mais acessível que o restaurante do hotel. Um amigo aconselhou-me a experimentar A Cavalariça que se encontrava no meio de um povoado a 20km do hotel e que se tornou numa sugestão excelente e bastante mais económica, mesmo contabilizando a gasolina. Mais tarde, num regresso do Algarve, não tive dúvidas em fazer um pequeno desvio para lá almoçar outra vez.


Localização & Acesso (6/10)

Tenho que valorizar o esforço e a dedicação de quem se entrega a um projecto gastronómico no meio de uma zona tão isolada e fora das rotas turísticas. Bem-hajam esses empreendedores! Felizmente, começam a aparecer, num raio de 20Km, alguns empreendimentos turísticos que dão alguma vida e possibilidade de sucesso a estes negócios. Situada na borda da IP2, Entradas é uma pequena e simpática aldeia a meio caminho entre a Autoestrada do Sul (A2) e Beja, apenas alguns quilómetros depois de Castro Verde. O restaurante fica no meio da aldeia, numa rua bem estreita e até nem é fácil encontrar à primeira. Não há estacionamento privativo, mas há muito espaço e lugares para estacionar nas redondezas. A entrada dá para a Rua do Poço, Nº14, mas a morada oficial é a Rua dos Escudeiros, Nº3.

Conforto, Decoração & Ambiente (7/10)

A sala é um pouco escura e com pouca luz natural, mas a decoração é simples, fazendo combinar a madeira maciça do tecto, das cadeiras e das portas com o branco das paredes e toalhas dispostas nas mesas. As paredes têm alguns quadros e objectos rurais que dão um toque rústico e que tornam o espaço muito confortável. O ambiente é familiar ao ponto haver uma pequena escadaria que leva à cozinha e onde vemos as pessoas em movimento para realizar o serviço. Há um ambiente descontraído, tipicamente alentejano e absolutamente genuíno.



Atendimento & Serviço (8/10)

São de uma simpatia extraordinária, mas trata-se claramente de um estabelecimento familiar onde os clientes são tratados como convidados, ao ponto de perante uma pergunta responderem algo do género: "Vou perguntar à minha tia" o que achei delicioso e absolutamente genuíno. A única queixa que tenho a fazer é em relação ao tempo que os pratos demoram a sair (é uma realidade comum a muitos restaurantes no Alentejo), o que por outro lado demonstra que a comida é feita na hora. São muito atenciosos com as crianças e não me canso de salientar a simpatia, honestidade e humildade das pessoas que nos atenderam.

Ementa & Apresentação (7/10)

Tem uma ementa bastante mais variada do que se poderia esperar para um estabelecimento com este tipo de localização, mas convém perguntar quais são os pratos do dia, porque os outros vão certamente demorar mais o que se torna até menos rentável para o negócio familiar. As entradas são básicas entre o queijo regional, o paio ou presunto de porco preto e as azeitonas. Os pratos de caça variam conforme a época, mas podemos escolher de entre a Açorda de Perdiz ou Faisão, o Cozido de Grão com Lebre, ou Lebre com Feijão Branco. No entanto, a lista de pratos de porco preto e de borrego é muito mais variada e com alguns toques de inovação. As sobremesas também tentam manter a linha alentejana apostando na Encharcada, no Requeijão com doce de Abóbora e na Tarte de Requeijão. A apresentação é simples, mas digna.

 

Qualidade da Refeição (8/10)

Não se pode dizer que seja uma comida digna de estrelas Michelin, mas é comida caseira, feita com carinho e muito saborosa. As doses são bem servidas e em alguns casos até dá para partilhar (perguntem, porque eles são muito honestos e prestáveis). Experimentámos os presuntos e paios, assim como os queijos regionais como entrada, porque a espera foi longa, mas foi o presunto que mais se destacou. Como prato principal testei o Javali Estufado, muito bem condimentado, mas também as Burras no Forno (bochechas de porco), Secretos de Porco Preto e até um Ensopado de Borrego, tendo todos cumprido bem em termos qualitativos e quantitativos. Só escolhi uma das sobremesas: a Encharcada e não me arrependi.

Preço Vs Qualidade (8/10)

Não foi o restaurante mais barato que visitei no Alentejo, mas compreendo a necessidade de adequar os preços ao isolamento e requisitos de qualidade que a localização exige. Considerei absolutamente justo o valor final das refeições, porque a qualidade da comida é intocável e se conseguirem partilhar ou se levarem crianças que comam com os pais, melhor será.

Preço Base (Prato+Bebida): De 10€ a 15€
Preço Base + Sobremesa: De 10€ a 15€
Preço de Menu Completo: De 15€ a 20€

Conselhos & Dicas

- Não queiram estacionar mesmo em frente ao restaurante. As ruas são apertadas e por vezes há camiões que necessitam de passar ali e fazer manobras. A menos de 100 metros há lugares melhores e à sombra.
- Atenção aos horários! Cheguem dentro dos horários das refeições, nestas localidades mais remotas as coisas não funcionam fora de horas.
- O serviço demora um bocadinho, portanto pode entreter-se com as entradas que até nem são muito caras.
- No verão, ao jantar, pode estar mais composto, mas no resto do ano há sempre lugares para sentar.

4 comentários:

  1. Estou me preparando para ir conhecer Portugal no próximo ano.
    Espero sobreviver aos preços, já que às iguarias, com certeza sobreviverei. rsrs
    Quando estiver próximo pedirei dicas... rsrs
    Valeu Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Beth!

      Tenho muito gosto em dar-lhe algumas dicas quando vier.

      Esteja à vontade para pedir informações sobre esta matéria. ;)

      Seja sempre bem-vinda!

      Eliminar
  2. Agradecemos o comentário escrito à nossa casa. Continuaremos a dar o máximo para que os clientes saiam satisfeitos.
    Ass: Sandra - Enpregada de mesa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E espero que mantenham sempre a vossa identidade. Quando voltar a passar por essa zona, certamente vos visitarei.

      Eliminar